A genética da cor dos gatos

Você sabia que uma característica pode estar ligada a diversos genes? Pois é, um exemplo disso são as cores dos gatos!

Você sabia que uma característica pode estar ligada a diversos genes? Pois é, um exemplo disso são as cores dos gatos! Essa característica é herdada dos pais do animal e os genes das cores (preto e amarelo) estão presentes no cromossomo X. Na reprodução, a fêmea passa para o filhote um cromossomo do tipo X e o macho pode enviar um X também, dando origem a uma fêmea (XX), e caso o macho envie um Y, dará origem a um filhote macho (XY).

Cada gato, portanto, tem um par de genes relativos à cor, e esses genes podem ser do tipo dominante ou recessivo. Lembre que para um fenótipo aparecer relativo a um gene Dominante somente um alelo é necessário. Caso o gene seja recessivo, os dois alelos devem estar presentes, ou se seja, o filhote deve receber ambos os genes , um do pai e outro da mãe.

Vale lembrar que a cor branca está em outro cromossomo, totalmente separado (veja na imagem)! E por incrível que pareça, existem três genes para pêlos brancos: um gene para manchas brancas (S/s), um gene para gatos totalmente brancos (W/w) e um gene para albinismo (C/c). Por isso que os animais que possuem três cores são sempre fêmeas! Como os machos só têm um X, pois são XY, eles só podem ser ou pretos ou laranjas, nunca os dois. Uma exceção pode acontecer com machos que possuem uma síndrome, chamada Klinefelter, e acabam com genes XXY – podendo ter preto laranja em sua pelagem.

Diante disso, fica uma pergunta: e os gatos que são totalmente brancos? Como isso deve acontecer? Se você sabe a resposta ou tem um palpite deixe nos comentários.

Para saber mais sobre genética e biologia molecular, acesse os cursos de Biologia Molecular a seguir!

8 de janeiro de 2024

0 respostas em "A genética da cor dos gatos"

    Deixe sua mensagem

    CNPJ: 23.298.851/0001-68 NACIENTIFICO - Cursos de Aprimoramento LTDA