MAIS UMA PESSOA CURADA DO HIV

Pesquisadores anunciaram que uma pessoa foi curada do HIV. Essa é a quarta vez que o tratamento foi totalmente eficaz através de um transplante de medula óssea após ser diagnosticado com câncer. 

O paciente (não identificado) foi diagnosticado em 1988 quando era “uma sentença de morte”. O paciente foi apelidado de paciente da “Cidade da Esperança” pela clínica da Califórnia onde foi tratado. O paciente foi diagnosticado com leucemia em 2019 e, em seguida, recebeu um transplante de medula óssea. 

Normalmente, o HIV se liga ao receptor CCR5. Ele é expresso nos glóbulos brancos e é a porta de entrada do HIV. Quando o CCR5 sofre mutação, o HIV não consegue se ligar a ele, então os glóbulos brancos não são infectados e a doença nunca é estabelecida. As células doadoras para o transplante vieram de uma pessoa que carregava uma mutação no gene CCR5; a mutação é conhecida como CCR5-delta 32. Mutações nesse gene conferem às pessoas resistência ao HIV.

Depois de receber a vacinação COVID-19 em março de 2021, o paciente parou de tomar antirretrovirais e permaneceu em remissão do HIV e do câncer.

Este caso foi anunciado em uma conferência de pesquisa sobre AIDS, onde os pesquisadores também relataram outra história de sucesso. A carga viral de uma mulher de 59 anos com HIV está indetectável há 15 anos, embora ela tenha interrompido a terapia retroviral. Essa paciente, residente na Espanha, provavelmente ainda carrega o vírus, mas em níveis indetectáveis, e seu caso é diferente do paciente da Cidade da Esperança, que não carrega nenhum vírus.

O HIV ainda é uma infecção que as pessoas carregam por toda a vida, mas esses casos mostraram que é possível, potencialmente com edição genética, curar a doença. Um método que seria acessível a todos os pacientes com HIV ainda permanece no futuro, no entanto.

Fontes: AFP

19 de setembro de 2022
CNPJ: 23.298.851/0001-68 NACIENTIFICO - Cursos de Aprimoramento LTDA