fbpx

Fenótipo dos Macrófagos M1 e M2

Os macrófagos foram identificados por Ilya Metchnikoff há mais de 100 anos e com essa descoberta ele ganhou o Prêmio Nobel de Medicina em 1908.

 

Os macrófagos são uma população heterogênea de células mieloides inatas envolvidas em saúde e doença.

 

São as células plásticas e mais funcionalmente diversas do sistema hematopoiético, encontradas em todos os tecidos, e sua principal função é responder a patógenos e modular a resposta imune adaptativa através do processamento e apresentação de antígenos.

 

Suas funções se concentram na indução e resolução da inflamação, bem como no reparo tecidual.

 

Eles fazem a fagocitose de detritos e patógenos, liberação de células mortas e rotatividade da matriz.

 

Fenótipo dos subconjuntos de macrófagos M1 e M2 e suas funções:

 

Os macrófagos derivados de precursores de monócitos sofrem diferenciação específica, dependendo do ambiente tecidual local.

 

Macrófago M1

 

É caracterizado pela produção de altos níveis de citocinas pró-inflamatórias, capacidade de mediar a resistência a patógenos, fortes propriedades microbicidas, alta produção de nitrogênio reativo e oxigênio intermediários e promoção de respostas Th1.

 

Polarização em direção ao fenótipo M1: LPS, IFN-gama e fator estimulador de colônias de granulócitos e macrófagos (GM-CSF).

 

Secreta: grandes quantidades de citocinas, como IL-1-beta, fator de necrose tumoral (TNF), IL-12 , IL-18 e IL-23. M1 secreta a célula Th1 atraindo quimiocinas CXCL9 e CXCL10.

 

Expressa: altos níveis do complexo principal de histocompatibilidade classe II (MHC II), o marcador CD68 e as moléculas co-estimuladoras CD80 e CD86.

 

M1 regulam positivamente a expressão do supressor intracelular de proteínas da sinalização de citocinas 3 (SOCS3), bem como ativam a óxido nítrico sintase indutível ( NOS2ou iNOS) para produzir NO a partir de L-arginina.

 

Na doença: os macrófagos M1 estão envolvidos no início e na sustentação da inflamação.

 

Macrófagos M2

 

Participa no controle de parasitas, remodelação de tecidos, regulação imune, promoção de tumores e atividade fagocítica eficiente.

Esse tipo de macrófago é induzido por células fúngicas, complexos imunológicos, infecções por helmintos, componentes de complemento, células apoptóticas, fator estimulador de colônias de macrófagos (MCSF), IL-4, IL-13, IL-10 e TGF-beta.

 

M2 pode ser dividido em subconjuntos – M2a, M2b, M2c e M2d.

 

Polarização em direção ao fenótipo M2:

M2a – IL-4, IL-13 ou infecções por fungos e helmintos.

M2b – ligantes do receptor de IL-1, complexos imunes e LPS.

M2c – IL-10, TGF-beta e glicocorticoides.

M2d – IL-6 e adenosina.

 

Secreta: grandes quantidades de IL-10 e baixos níveis de IL-12. M2 também secreta CCL17, CCL22 e CCL24.

Expressa: IL-12 baixo IL-10 alto IL-1decoyR alto, IL-1RA alto, IL-2 baixo, IL-23 baixo, IL-1beta baixo e caspase-1 baixo, altos níveis de receptores eliminadores de manose e galactose, do tipo E e C.

 

Marcadores de fenótipo M1 e M2 de humanos e camundongos

 

 

M1

M2

Humano

CD64, IDO, SOCS1, CXCL10

MRC1, TGM2, CD23, CCL22

Rato

CXCL9, CXCL10, CXCL11, NOS2

Mrc1, tgm2, Fizz1, Ym1 / 2, Arg1

 

 

Foto:

Macrófagos (azul claro) fazendo fagocitose do Cryptococcus neoformans, um patógeno fúngico (círculo amarelo).

Podemos observar nessa microscopia os cromossomos condensados (azul escuro), as mitocôndrias (vermelho) e ausência do envelope nuclear.

Crédito: Carolina Coelho, 2013. Faculdade de Medicina Albert Einstein e preparação e coloração da imagem por Hillary Guzik.

Referências:

1 – Macrophage M1/M2 Polarization Dynamically Adapts to Changes in Cytokine Microenvironments in Cryptococcus neoformans Infection. Michael J. Davis, et al. mBio 4(3):e00264-13. doi:10.1128/mBio.00264-13.

16/10/2019

0 respostas em "Fenótipo dos Macrófagos M1 e M2"

Deixe sua mensagem

Núcleo de Aprimoramento Científico Av. Paulista , 171 - Bela Vista - São Paulo - SP
X